Chapada das Mesas – Roteiro de 2 dias.

Em nossa expedição em janeiro de 2017, saindo do Jalapão tínhamos duas opções de rotas. Uma com destino ao Parque Nacional da Serra da Capivara e Serra das Confusões no Piauí, ou sentido Chapada das Mesas no Maranhão. Como já havíamos passado praticamente dentro da Chapada das Mesas anos atrás e não havíamos parado em nenhum atrativo decidimos que esse seria o local a incluir em nossa expedição.

A primeira dificuldade foi encontrar informações corretas e atualizadas sobre os atrativos. Mas conseguimos reunir o básico de informações que permitiram a gente desfrutar bastante nossa estadia por lá.

Sempre o pessoal nos pergunta se a gente recomenda o local ou não. E com relação à Chapada das Mesas não dá pra dizer somente sim ou não. O lugar é lindo, mas não dá pra esconder que sentimos uma certa frustração lá, porque quando decidimos visitar um Parque Nacional que não conhecemos, imaginamos de cara que iremos percorrer caminhos e atrativos longe de exploração comercial, preservados o mais naturalmente possível. É isso que gostamos nos Parques Nacionais.

Mas na região, na realidade, a grande maioria dos atrativos mais famosos e mais bonitos do local não fazem parte do Parque Nacional da chapada das Mesas. Na área do Parque Nacional mesmo, visitamos somente as Cachoeiras de São Romão e do Prata. Todos o resto está fora da área demarcada do Parque. Atrativos áreas particulares com muita estrutura, que na nossa opinião descaracteriza totalmente a natureza e o meio ambiente local, e onde se cobra uma pequena fortuna pra entrar.

Querem um exemplo? ok… Para visitar por exemplo a Cachoeira do Santuário, em janeiro de 2017 era preciso pagar por pessoa R$50,00 para entrar no complexo turístico Pedra Caída, e lá dentro pagar mais R$25,00 pra ter acesso à cachoeira. Ou seja, se não quiser usufruir de nenhuma estrutura do complexo turístico não interessa. Não pagou não entra! E claro, não pagamos, porque não concordamos com essa exploração que exclui toda a população local e coloca dinheiro no bolso de meia dúzia de pessoas.

Mas enfim, existem sim atrativos muito bacanas fora dessas áreas muito exploradas, que ainda preservam a natureza da melhor forma possível, com preços razoáveis.

Nos links abaixo estão nossa rota de GPS e um pequeno vídeo do youtube. E no final do texto várias fotos dos atrativos

     


1º Dia (10/01)

– Chegamos em Carolina/ MA, porta de entrada e uma das principais cidades do Parque Nacional da chapada das mesas no final da tarde do dia anterior. Entramos na cidade somente para repor alguns alimentos e bebidas num supermercado e em seguida fomos para o Camping Aldeia do Leão, distante cerca de 13km da cidade. Com certeza é um dos melhores campings que já nos hospedamos. Ótima estrutura e com pessoal muito atencioso! Se estiver na região, procure por eles: http://macamp.com.br/guia/guia/campings/brasil/maranhao/carolina/camping-aldeia-do-leao/

– Portal da Chapada – o chamado Portal da Chapada é uma formação rochosa bem próximo ao asfalto onde é possível subir à pé pra avistar a Chapada das Mesas de um ponto bem elevado. Uma trilha curta, com cerca de 800m e elevação de 100m. Trilha fácil mas um pouco cansativa pela quantidade de areia na subida. Lá do alto, através de um enorme furo causado pela erosão dos vendos e chuva, é possível avistar as formações características da região. É um passeio ideial pra fazer bem cedinho, pra avistar o nascer do sol bem de frente.

– Cachoeira do Prata – São na realidade várias cachoeiras na mesma propriedade. Na principal delas, a água desce através de um furo na rocha, sendo uma cachoeira bem peculiar. Infelizmente em nenhuma delas tem ponto bom para banho. O rio tem bastante volume de água e muita correnteza. Assim que deixamos o asfalto todo o trajeto é feito em terreno muito arenoso, então somente para veículos 4×4. Nem adianta tentar com 4×2, ok?

– Cachoeira de São Romão – Acreditamos ser uma das mais bela de toda a região. Uma queda abrupta no rio Farinha forma esse espetáculo da natureza. Uma incrível massa de água que cai com muita força. Existe trilha pra chegar bem no alto dela, tendo uma vista lateral da queda, bem como trilha pra chegar ao pé da queda. Ambas são de nível fácil, mas obviamente a trilha que vai ao pé da cachoeira se torna bem mais perigosa pelo risco de escorregar nas pedras cheias de lodo e cair na água. Logo abaixo da queda, existe uma outra trilha que leva a um pouco ligeiramente abaixo no rio onde se forma uma prainha ótima para banho. Da prainha ainda se vê a cachoeira, bem perto. No local é possível encomendar um almoço ou um lanche rápido assim que retornar da cachoeira. A estrada é continuação da Cachoeira da Prata, então somente pra veículos 4×4.

Distância percorrida no dia, 191km


2º Dia (11/01)

– Portal da chapada – A gente não podia ir embora sem tentar ver o nascer do sol no alto do Portal. Saímos às 5 da manhã do Camping com esse objetivo, mas infelizmernte não tivemos muita sorte com o tempo um pouco nublado.

– Encanto Azul – Fica no município de Riachão a aproximadamente 130km de Carolina. Mas o percurso é quase todo em asfalto, então apesar de ser bem longe é relativamente rápido. Pegamos muita chuva na estrada e chegamos a pensar em desistir e voltar pro Camping, mas felizmente por volta das 10 da manhã, enquanto estávamos tomando café da manhã numa padria em Riachão a chuva deu uma trégua e valeu o esforço. Sobre o Encanto Azul, sem palavras para descrever o lugar. Uma piscina natural no meio de enormes paredões rochosos, de uma cor azul profunda impressionante. Em alguns pontos do lago a profundidade chega a 7 metros e mesmo num dia sem sol como estávamos a visibilidade era total. Infelizmente, quando chegamos lá percebemos que toda uma estrutura de escadarias e passarelas de acesso estava sendo construída, então provavelmente agora já estão cobrando caro a visitação (no dia, pagamos R$10,00 por pessoa).

– Riacho Cristal – É o riacho que corre a partir do Encanto Azul. Ótimo para banho também, apesar de não ter uma fração da beleza do Poço Encanto Azul.

– Poço Azul – Fica dentro de mais um complexo Turístico, um pouco menos abusivo que o Pedra Caída. Na ocasião pagamos R$40,00 por pessoa!!! E só pagamos porque não teríamos tempo de ir pra nenhum outro local e não queríamos perder o restante do dia. Esse ticket te dá acesso a várias cachoeiras, sendo a principal delas a Cachoeira Santa Bárbara, e ao Poço Azul. Assim como o Encanto Azul, é um poço magnífico para banho. Mas infelizmente como havia chovido muito nos dias anteriores e esse poço recebe água de várias fontes, não esta muito límpida. Isso é completamente normal, mas completa nossa frustração porque na portaria antes de comprar o ingresso garantiram que as chuvas não tinham afetado o poço e as cachoeiras. A ganância pelo dinheiro sendo maior que a honestidade e a coerência!!

Distância percorrida no dia, 328km


3º Dia (12/01)

Saída com destino à Teresina/ PI


Enfim. Esperamos que o relato não seja tão desanimador pra vocês. Existem várias outras opções que não tem essa exploração toda. No próprio Camping Aldeia do Leão tem uma cachoeira pequena mas muito bacana pra tomar banho, principalmente para crianças. Mesmo que não ficar no camping você pode ir lá aproveitar a cachoeira enquanto saboreia algumas delícias da culinária local que o pessoal de lá faz pra você. Além disso, conseguimos dicas de muitos outros lugares que não tivemos tempo de conhecer mas que numa próxima oportunidade entrarão na agenda. A gente gosta da natureza como ela é, com o mínimo de interferência humana possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *