Gália e Campos Novos Paulista/ SP

Fazia tempo que a gente sabia da existência de uma fantástica igreja abandonada na cidade de Gália/ SP. Mas como é um pouquinho longe de Assis, onde moramos, nunca dava certo de ir até lá. Então chamamos um grande amigo daqui, parceiro de saídas fotográficas, desenhamos no computador um roteiro por terra até lá utilizando o Wikiloc, salvamos no GPS e partimos pra aventura.

No caminho, revisitamos um Hotel Abandonado na cidade de Campos Novos Paulista. Já estivemos outras vezes lá, inclusive durante a madrugada para fazer umas fotos noturnas e o lugar é muito bacana! Não existem muitos registros históricos sobre sua construção e funcionamento, nem sobre sua desativação. Sabemos que era uma Estância Climática que funcionou nos anos 60 até início dos anos 90. Encontramos na internet somente um texto do Jonarl correio de Marília de 18 de janeiro de 1957 (fonte) que conta um pouco o que seria esse hotel:

O Climático Hotel
“Temos noticiado constantemente o fato que representa o grandioso empreendimento de um grupo de marilienses, já na sua fase final, na estação climática de Campos Novos Paulistas: o Climático Hotel.
Realmente, nenhum exagero ou outro interesse existe de nossa parte, senão o focalizar um acontecimento que tem muito mais importância do que possa parecer à primeira vista.
O mariliense, para repouso ou tratamento de saúde, até aqui, viu-se obrigado a rumar para estações de águas caríssimas e famosas, longe de Marília. Isso, de modo geral, não mais vai ser necessário, uma vez que, já para o último trimestre do ano em curso, deverá ser oficialmente inaugurado o Climático Hotel Campos Novos Paulista, realização que veio preencher imensa lacuna, não só em Marília, como em toda a Alta Paulista, Alta Sorocabana, Norte do Paraná, e, à rigor, no próprio Estado.
Não mais precisarão os marilienses, de agora em diante, abandonar seus compromissos e suas famílias, para realizar necessários tratamentos em “estações de água”. Ali está o Climático Hotel, perto de Marília, ligado por boas estradas, propiciando mesmo o ensejo de passar semanas naquelas paragens inteirados de seus negócios.
O clima é excelente. A água salubérrima. Frutas que reconhecidamente só vingam em climas frios e especiais da Europa, ali crescem com facilidade, produzindo excelentes produtos.
Tudo foi convenientemente estudado pelos timoneiros da ideia. Folguedos, lugares para espairecer o espírito, alimentação, conforto, vida ao ar livre, esportes, natação, tudo, enfim.
Nas proximidades, encontra-se u’a verdadeira maravilha da natureza: uma fonte, conhecida pelo nome de “Fonte dos Euricos”, cujas propriedades medicinais de suas águas, já devidamente comprovadas pela ciência médica, principiam de modo vertiginoso a atrair turistas. São incontáveis os efeitos do liquido dessa fonte, para diversas espécies de males físicos do homem.
Aqueles que já conhecem Campos Novos Paulistas e que já viram “in loco” as majestosas obras do Climático Hotel, entendem perfeitamente que estamos apregoando um fato digno de merecer as mais encomiosas referências.
Aqueles outros, que, por motivos diversos, ainda não tiveram o ensejo de visita o referido empreendimento, estão no dever de conhece-lo, para aquilatar o que de alto valor significará dentro das próprias necessidades da saúde e do repouso de nossa gente.
Até ha pouco, “fazer uma estação de água” era privilégio de ricos. Hoje, não; hoje, até os mais modestos financeiramente, são cotistas do Climático Hotel Campos Novos Paulistas. Imaginem os leitores, o bem estar e o conforto físico e salutar que essa gente proporcionará às suas famílias.
Vale a pena, repetimos, conhecer o Climático Hotel Campos Novos Paulista.”

Saindo do Hotel nos dirigimos então pra tentar localizar a famosa Igreja da Fazenda São João Batista de Tibiriçá, da antiga Cia. Inglesa, também conhecida como Fazenda dos Ingleses.

Localizada em Gália, a Cia. Inglesa foi criada em 1924 por um grupo de investidores ingleses que investiram durante 40 anos na região de Gália. A Companhia Agrícola do Rio Tibiriçá foi constituída por três investidores de Liverpool, quando resolveram formar uma grande fazenda de café em 2.367 alqueires com mais de 2 milhões de pés de café. Pelo tamanho da área, a administração dividiu em seções, a sede, Ipiranga, Boa Vista, Água Limpa, Aliança e Mascarenhas, cada uma com seu administrador. Com o declínio, a área foi toda fragmentada em diversas propriedades ao longo dos anos e vendida a produtores rurais.

Apesar de todas as atividades econômicas da fazenda, tudo girava em torno do café, de longe o negócio principal. Maior do que muitas cidades do interior, a fazenda chegou a ter 3.000 moradores em seu apogeu.

A arquitetura neogótica (estilo de arquitetura revivalista originado em meados do século XVIII na Inglaterra) da igreja da fazenda São João Batista de Tibiriçá virou um ponto de “peregrinação” nos finais de semana, principalmente pelos adeptos de passeios ciclísticos. Por fora, o prédio chama atenção, mas basta entrar no templo para perceber que as condições são precárias e pode desabar. Há viga escorando o telhado. Os vitrais estão todos quebrados. O templo foi erguido no período do apogeu da cafeicultura. Fica no alto de uma colina, antes de chegar à “Fazenda dos Ingleses”.

A igreja católica da fazenda foi uma das primeiras construções, erigida por volta de 1930. Era toda de tijolo vermelho aparente. E uma curiosidade, não tinha padre residente, apenas algumas senhoras se reuniam para rezar o terço. Segundo relatos, só quando tinha alguma comemoração maior é que vinha um padre de Gália. E só conseguimos mostrar esse lugar incrível graças ao canal Bravo em algum lugar do passado que esteve lá e registrou essa preciosidade. Hoje o lugar está abandonado, pedaços de madeira seguram o teto, mas a fé continua lá num altar todo bem cuidado com imagens de santos e flores. Uma forma de mostrar que ainda há vida no local!

Abaixo a localização de GPS desses pontos e o vídeo de nossa passagem por lá.